domingo, 9 de fevereiro de 2014


INVERSÃO DE VALORES

JUACY DA SILVA

Costuma- se dizer que quando as pessoas dão mais ênfase ao supérfluo em detrimento das coisas mais importantes na vida está ocorrendo uma inversão de valores. Imagina alguém investir seus parcos  recursos em roupas suntuosas ou outros produtos supérfluous e deixar  faltar recursos para os cuidados com a saúde, a alimentação ou a educação da família. Quando isto ocorre tal pessoa será objeto de crítica por parte de familiares ou amigos/as. 

O Ministro da Aeronáutica Délio Jardim costumava dizer que um major aviador que pilotava um mirage da FAB, com curso superior, anos de experiência e treinamentos até no exterior,  ganhavam menos do   que um acensorista do Congresso Nacional que pilotava um elevador para transportar parlamentares de um andar para outro. Lembrando que no Congresso existem elevadores  privativos para Deputados e Senadores, afinal os representantes do povo não podem se  misturar com a ralé, o “zé povinho”, quando esses  eleitores visitam o Congresso, da mesma  forma que visitam as Assembléias Legislativas e Câmaras Municipais, para  pedir algum favor, protestar ou até mesmo para ouvir inflamados discursos de parlamentares perante um plenário vazio.

Mesmo que tenha ocorrido um aumento real no salário dos militares e de outras categorias de servidores do Poder Executivo, com certeza esta defasagem  salarial ainda persiste, principalmente em relação aos salários dos servidores dos poderes legislativos, judiciário e estatais.

Dizem as mas línguas que  algumas funções consideradas subalternas, para as quais as exigências de instrução são mínimas, geralmente no máximo nível médio, nos Poderes Legislativo e Judiciário, tem salário inicial várias vezes o que ganham servidores do poder executivo, dando a impressão que as fontes dos recursos sejam distintas (quando sabemos que a origem de tudo é a carga tributária que recai sobre o lombo do povo) e o trbalho dessas pessoas é mais importante do que o realizado por profissionais da saúde, da educação, da defesa nacional e de várias outras áreas do serviço público.

Há poucos dias o noticiário nacional destacou que estão ou estarão abertas as inscrições para vagas de segurança na Câmara Federal,  com salário inicial de doze mil reais  e que após alguns anos  somadas as gratificações de função, os locais de trabalho e outras benesses   a  pessoa poderá aposentar-se com um salário de até 17 mil ou se tiver função mais graduada e conseguir incorporar todas as futuras vantagens, muitas das quais  oriundas dos famosos  trens da alegria muito comuns no Cogresso e tantos outros orgãos públicos, poderá  atingir valor  maior do que este.

As exigências são instrução de nível médio, passar em provas escritas e de aptidão física. Nem precisa dizer que este concurso será mais competitivo do que a disputa por uma vaga em medicina, curso mais dispuado no ultimo ENEM.

Enquanto isso professores/as das escolas públicas municipais  e estaduais com cursos superiores,   ganham no máximo três salários mínimos, ou seja, 20% do que vão ganhar os seguranças de nossos parlamentares federais.

Após 35 anos de trabalho, com cursos de mestrado ou doutorado professores universitários se aposentam com menos da metade do salário dos seguranças do Congresso Nacional. Esta é a cara do Brasil em pleno século 21, existem inúmeros outros exemplos que demonstram que  a inversão de valores continua sendo a tônica das ações governamentais!

JUACY DA SILVA,  professor universitário,  titular e aposentado UFMT,  mestre em sociologia. Email professor.juacy@yahoo.com.br  Blog www.professorjuacy.blogspot.com Twitter@profjuacy

 

 

2 comentários:

Breno Barreto disse...

O o que mais tem no brasil é isso mesmo inversão de valores, as minhas desconfianças que o p.t estaria por traz das manifestações turbulentas e agressivas se confirmam só falta mesmo os nomes dos quadrilheiros quer mais inversão de valores que essa meu amigo beijos

Breno Barreto disse...

kyra kanakardes(marli) saiu sem querer na página do meu neto mas a...